O que rende mais? Estudar sozinho ou em grupo?

A resposta é: depende. Ambos os métodos tem vantagens e desavantagens, e é preciso estar atento para perceber de que forma você consegue se concentrar melhor. Um dos maiores benefícios para quem opta por estudar sozinho é a chamada “liberdade nos estudos”, ou seja, você mesmo faz sua programação e divide seu tempo da forma que preferir. Para estudar sozinho não é preciso depender do ritmo dos colegas para resolver exercícios ou estipular pausas, por exemplo. Você memoriza e pratica os conteúdos da maneira que se sentir mais a vontade, sem ter que se preocupar com o rendimento de mais ninguém.

Outra vantagem do estudo individual é evitar eventuais distrações. Quem decide se reunir com os colegas está sempre sujeito a perder um pouco o foco, principalmente se estiver entre um grupo de amigos. Nesse caso, é preciso disciplina de todas as partes para que o rendimento não caia.  

É claro que montar um grupo bem equilibrado, onde todos estejam em um nível relativamente próximo de compreensão dos assuntos, pode sim funcionar. A grande vantagem é a possibilidade de tirar dúvidas que você provavelmente não resolveria sozinho. Há também quem se sinta mais motivado quando se reúne com outros estudantes, o que pode ser valioso para um bom desempenho.  Para quem acha monótono estudar sozinho, um grupo dinâmico pode ser uma excelente solução para resolver o problema.

Por fim, é preciso testar os dois métodos e perceber de que forma seu cérebro se torna mais produtivo. O segredo é montar uma rotina que funcione bem para você, independente de que seja ela individual, coletiva, ou que se alterne entre as duas opções.

 

facebooktwittergoogle_pluslinkedin

Inscreva-se já!

Invista no seu futuro, faça um curso FAEL.